A reader lives a thousand lives before he dies, said Jojen. The man who never reads lives only one. (George R. R. Martin)

quinta-feira, 27 de março de 2014

Halloween


O meu nome é Alexandre e já estou trancado neste manicómio há tantos anos que já não sei que idade tenho. (...) Que doce ironia, esta vida! Pergunto-me se terá sido propositado. Ouço claramente uma voz feminina a elevar-se da melodia que paira ao meu lado, ao mesmo tempo que o relógio velho mas incrivelmente acertado da sala bate as doze badaladas que findam o Dia das Bruxas. A voz funde-se com o sino, e o meu ser junta-se-lhes, perdido a olhar para o cemitério e a luz que dele emana...

Sendo que ontem foi assinalado o dia do escritor português e não estando de momento a ler nada de um autor português, achei que não podia deixar de assinalar a data. Descobri, um pouco por acaso, confesso, este conto da Nádia Batista e resolvi que seria esta a minha homenagem aos escritores portugueses.

Tendo por base um tema bastante comum, e uma situação que também não é nova, estes quatro amigos conseguiram surpreender-me e ao chegar ao fim queria mais... Todo o ambiente de mistério envolvido, mas que ao mesmo tempo é bastante normal para uma aventura de adolescentes na Noite das Bruxas, deixou um sabor agridoce por ser um conto tão curto. Gostei do que li e estava disposta a passar uma tarde bem acompanhada (mesmo que fosse num cemitério abandonado) para perceber quem é realmente o Alexandre e o que se passou naquele Halloween.

Estamos perante um doente mental? O que aconteceu realmente ao Alexandre e aos seus amigos naquela noite? A voz feminina é mesmo um chamamento da Eva? Tenho mais umas quantas perguntas na minha cabeça, mas a ideia é manter o suspense e aguçar a curiosidade de possíveis leitores. Quanto a mim, fiquei convencida apesar de ter sabido a pouco!

Nádia e uma continuação? 

Halloween está disponível para download aqui e quem quiser conhecer melhor a Nádia Batista, pode fazê-lo visitando o seu blog Eu e o Bam (de certeza que não se arrependerão).

11 comentários:

  1. Obrigada :D :D

    Nunca tinha pensado numa continuação... quem sabe se um dia o Halloween não se torna num livro mesmo, em vez de ser apenas um conto :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiquei curiosa em relação ao Alexandre e gostava de saber o que realmente aconteceu para ele ir parar ao manicómio ;)

      Pensa nisso :p

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Eu tenho e ainda não li. Vou chorar um pedacinho :(

      Eliminar
    3. auch! eu estou a ler... o Misery -_- que quero acabar este mês e ainda tenho Andersen para ler

      Eliminar
    4. Cata, levas cinco minutos a ler o conto! Deixa-te de preguiças que vai valer a pena ;)

      Eliminar
    5. Não me pressiones :o Eu vou ler mas quero que seja natural :p a Nádia merece ao menos isso

      Eliminar
    6. Pronto! Já não está cá quem falou...

      Eliminar
  2. Olá Cristina,

    Justa homenagem à Nádia, já tive o prazer de ler e tem tudo para se tornar num novo talento e parabens por divulgares o que é nacional, mais que justo e a Nádia pela pessoa que é bem merece ;)

    Ai Cata, Cata, a ver se lès que são 5 minutos :D

    Bjs e boas leituras e a ver se passo por estes lados mais vezes :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      Faço por isso, se bem que ainda ando nestes meios há pouco tempo... Mas acho que é importante ajudar na divulgação do que é nosso e eu gostei mesmo do conto da Nádia :) só que soube a pouco (é por isso que eu leio poucos contos...)

      Vai passasndo que serás sempre bem-vindo :)

      Eliminar